domingo, dezembro 14, 2014

Que tipo de educação queremos: aquela que defende o consenso ou aquela que enxerga a história como um palco de atuação e transformação?

Essa é a ideia de educação que as elites brasileiras ainda sustentam - e que o Estado propagandeia -, deixando clara a sua posição acerca de um conformismo; uma defesa explícita do consenso em torno de um tipo de educação alienada, tecnicista, fordista em sua concepção para as classes populares. 


Publicidade realizada pela Prefeitura do Rio de Janeiro, publicada no Jornal O Globo em 07/12 (o que coaduna com a alma ideológica do veículo publicizante) e que mostra crianças numa linha de produção. 


Faz lembrar isso:

Nenhum comentário:

O fascismo e os “homens bons” - Por Mauro Iasi

Abaixo, uma bela reflexão do professor Mauro Iasi.  Uma bela análise de conjuntura! “Esse que em mim envelhece assomou ao espelho a...